Campeonato de Pontes: uma forma lúdica de praticar o que se aprende em sala de aula

 width=

Um projeto desafiador que estimula acadêmicos de Engenharia a se superarem na prática o que aprenderam em sala de aula. O Campeonato de Pontes da Candido Mendes desafia os estudantes a construírem pontes feitas com palitos de bambu altamente resistentes. Ganha aquela que suportar o maior peso.

“Objetivo é que o aluno faça todo dimensionamento, todo projeto e cálculo necessário, cujo propósito é a resistência da ponte, do quanto de carga ela vai suportar. Depois que eles fazem esse dimensionamento, a equipe executa a estrutura para então fazer a análise de carga até o rompimento”, explica Lucio Petrucci, coordenador do Curso de Engenharia Civil.

Petrucci considera que a participação no Campeonato de Pontes é uma das preparações para quando o acadêmico ingressar no mercado de trabalho. “O engenheiro civil ou o engenheiro mecânico faz exatamente isso, dimensiona, calcula, projeta para depois construir, a diferença é que fazem isso com outros materiais. Na verdade, é uma preparação para o futuro. Hoje, o que eles estão executando vem da base da Engenharia, que vem da mecânica estática, resistência de materiais, entre outros. Isso dá aos alunos um pré conhecimento para no futuro atuar como profissional”, explicou Petrucci.

Com a marca impressionante de 645 kg, a equipe 300 conquistou pela segunda vez consecutiva o Campeonato de Pontes. O grupo é formado pelos acadêmicos Igor Grassini, Pedro André Batista e Arthur Horta da Engenharia Civil, e Thiago Braga da Engenharia Mecânica.

“Tivemos um trabalho árduo, de várias semanas, preparando a ponte em várias etapas, como acontece realmente na construção civil. A ponte não se monta de vez, vamos por etapas: etapa da fundação, construção das colunas, vigas. E foi assim que fizemos. Primeiro dimensionamos a carga que a ponte deveria resistir, inicialmente pensamos em uma carga de 350 kg, mas graças a Deus nos surpreendeu, chegando a 645 kg. Muito além do que imaginávamos. Isso acontece porque normalmente dimensionamos a ponte em cargas além do que previmos, levando em consideração o fator de segurança para que a ponte não venha a colapsar numa carga além do que é esperado”, detalhou Igor Grassini.

O projeto é uma iniciativa dos cursos de Engenharia realizada a partir de experiências didáticas similares adotadas em várias instituições de ensino do exterior. O objetivo principal é motivar os acadêmicos a aplicar conhecimentos básicos de mecânica dos sólidos; utilizar softwares; projetar sistemas estruturais simples; comunicar e justificar seus projetos em forma oral e escrita; e trabalhar em grupo para executa-los.

Para Lucio Petrucci, a modalidade de competição estimula os estudantes a sempre se superarem. “Todos os grupos, de maneira geral, tiveram resultados superiores que no campeonato passado. Esse grupo que venceu se superou e muito, fizeram uma previsão de resistência de 300 a 400 e chegaram a 645 kg. Isso é resultado do capricho e zelo que eles tiveram nesse projeto. E isso é interessante porque estimula muito o aluno”, afirmou o coordenador.

Igor Grassini acredita que essa experiência de competição contribui na sua formação. “Não tenho conhecimento de outra instituição que faça uma competição como essa aqui na região, como a Candido Mendes. É até uma boa a gente chamar as outras universidades para participar com a gente”, completou.

Aguarde, realizando operação...
CLIQUE PARA ACESSAR: